O Dia Mais Quente do Ano

/ 2013

Escrevi “O Dia Mais Quente do Ano” depois da pedreira que foi “Mandala”. A encomenda de um especial veio da alta direção da Globo, através do grande Maurício Shermman. Trabalhei sobre o texto de um dos maiores escritores de policiais, Cornell Woolrich, autor do romance em que se baseou “Rear Window” (Janela indiscreta, no Brasil”), do Hitchcock, para citar apenas um exemplo. O conto já tinha sido adaptado no Brasil por Hélio Porto, na década de 50, no teleteatro. Era a história de um menino que testemunha um crime. Mas como era um mentiroso de marca, ninguém acredita nele. E aí a situação se complica. Um dos elementos essenciais da trama era aquela escada de incêndio externa, muito comum nos Estados Unidos daquele tempo. Claro que aqui não tínhamos nada parecido. Então usei andaimes de obra, que funcionaram perfeitamente. O especial funcionou muito bem.

FICHA TÉCNICA

Autoria: Marcílio Moraes
Direção: Wolf Maya
Exibição: 27/10/1988
Horário: 22h15

TRAMA PRINCIPAL

- Baseado em originais de Hélio Porto e Cornell Woolrich, escritor americano. Kiko é um adolescente mentiroso compulsivo; quando ele testemunha um assassinato, ninguém lhe dá crédito.

- Numa noite de muito calor no edifício onde mora, Kiko (Jonas Torres) vai dormir no terraço em busca de frescor. É quando presencia um assassinato cometido pela vizinha Helena (Louise Cardoso) e seu marido, Milton (Carlos Vereza).

- Kiko retorna ao apartamento e tenta convencer seus pais do que vira. Ele é posto de castigo e só lhe resta dormir.

- Pela manhã Kiko vai à delegacia. O delegado (Rogério Fróes) não dá crédito ao garoto, mas manda o investigador Russo (Dary Reis) ir até o prédio investigar a versão. O zelador Firmino (Stênio Garcia) o recebe, nega qualquer ocorrência e ainda faz graça da polícia ter acreditado num adolescente famoso por suas mentiras.

- O policial Léo (Eri Johnson) acompanha Kiko até em casa e aconselha Marli (Susana Vieira), a mãe do menino, a procurar um acompanhamento psicológico para ele. Helena percebe a desconfiança do menino e alerta Milton.

- Marli vai passar a noite no hospital, com a irmã doente. O pai de Kiko (Edwin Luisi) vai trabalhar. Para garantir que o garoto não trará mais problemas, o pai tranca o menino em casa. Milton, que estava na espreita à espera da ausência de testemunhas, arromba o apartamento. Kiko consegue fugir pela janela. Ele encontra um policial (José Augusto Branco) e pede ajuda. Milton e Helena passam-se por pais de Kiko e o policial entrega o garoto a eles.

- Ao chegar à delegacia, o policial narra o ocorrido a Léo. Confrontando a descrição da mãe de Kiko, ambos percebem que o menino falava a verdade e rumam ao edifício para salvá-lo.

- Kiko consegue se desvencilhar dos assassinos e vai se reugiar onde o casal escondeu o morto. Ao deparar-se com o corpo, Kiko grita e assim é encontrado por Milton. Enquanto Milton tenta alcançá-lo, o cômodo, em ruínas, desaba.

- Edson procura desesperadamente o filho entre os escombros. Mas, ao contrário de seu algoz, Kiko havia conseguido fugir a tempo.

PRODUÇÃO

- Este Caso Especial teve cenas gravadas na Lapa e em Santa Teresa.

CURIOSIDADES

- Bruno Mazzeo tinha 11 anos quando fez uma participação neste Caso Especial como um amigo de Kiko; o protagonista Jonas Torres tinha 14 anos.

- Reapresentado em janeiro de 1989.

*FONTE: Site Memória Globo