• Essas Mulheres

    / 19 de fevereiro de 2002

    Foi para escrever “Essas Mulheres” que a Record me contratou, no final de fevereiro de 2005, em cima da hora, porque a estreia estava prevista para maio. Já havia uma equipe de escritores trabalhando, mas a direção da emissora achou que eles não tinham encontrado o caminho… continue lendo.

  • As Aventuras de um Barnabé

    / 22 de março de 2001

    “As Aventuras de um Barnabé” foi meu último trabalho exibido pela TV Globo. Fez parte de uma série dirigida pelo Roberto Farias, Brava Gente. Resolvi escrever sobre minhas lembranças de funcionário público, do tempo em que trabalhei na Funarte, e estruturei o enredo. continue lendo.

  • A Demanda

    / 8 de março de 2000

    “A Demanda” é o mais recente dos meus textos teatrais. Escrevi em parceria com meu amigo Mauro Sá Rego Costa, grande filósofo. A peça faz uma abordagem absolutamente sem preconceitos do universo das drogas e da insanidade que é a chamada “guerra” contra elas. continue lendo.

  • Chiquinha Gonzaga

    / 15 de março de 1999

    Minha participação neste trabalho foi muito pequena. Entrei no projeto por exigência da direção da TV Globo. continue lendo.

  • Dona Flor e Seus Dois Maridos

    / 31 de março de 1998

    “Dona Flor e seus Dois Maridos” é outra série em que tive o prazer de trabalhar com os amigos Dias Gomes e Ferreira Gullar. Foi das poucas vezes que vi o Dias ansioso diante de um trabalho continue lendo.

  • Irmãos Coragem

    / 19 de fevereiro de 1995

    O melhor de fazer o remake de “Irmãos Coragem” foi a oportunidade de ler o texto da Janete Clair. É raro encontrar alguém que encare a leitura de 330 capítulos de uma telenovela, mais de sete mil laudas. Mas se você está reescrevendo aquela história, não tem saída. continue lendo.

  • Sonho Meu

    / 19 de setembro de 1993

    Sonho Meu foi uma encomenda. A Globo tinha comprado os direitos das novelas do Teixeira Filho e o Mário Lúcio Vaz me ofereceu dois textos: “Ídolos de Pano” e “A Pequena Órfã”. Dei uma lida nos primeiros capítulos das duas … continue lendo.

  • As Noivas de Copacabana

    / 2 de junho de 1992

    A direção da Globo, Boni, pediu ao Dias Gomes uma minissérie. Ele então chamou o Gullar e a mim. O Dias já tinha a ideia de um criminoso obcecado por vestidos de noiva. Desenvolvemos a história e depois dividimos o trabalho, por crime. continue lendo.

  • Mico Preto

    / 19 de fevereiro de 1990

    Eu já disse, em alguma entrevista, que falar de Mico Preto seria como, parodiando o célebre romance de Lúcia Cardoso, fazer a crônica da novela assassinada. Havia interesse de alguns poderosos, dentro da Globo, em arrebentar com a produção. Uma tarefa é escrever a novela, outra, administrar o imenso empreendimento que ela representa continue lendo.

  • Mandala

    / 19 de novembro de 1987

    “Mandala” foi o maior desafio da minha carreira profissional. Para resumir, eu e o Dias Gomes havíamos combinado que ele conduziria a primeira parte da novela e eu a assumiria a partir do capítulo 36. Na verdade, segurei o rojão a partir do 26… continue lendo.